• Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2018 - Estima Hospital Veterinário

Programa Estima + Saúde

No mês de Março, o Estima Hospital Veterinário convida você a participar da campanha de prevenção das doenças renais.  Essa é mais uma iniciativa do Programa Estima+Saúde que visa a longevidade e qualidade de vida dos Pets.

A doença renal crônica é uma alteração degenerativa que aparece nas idades mais avançadas de vida dos Pets. Apesar de não ter cura, o diagnóstico precoce ajuda a minimizar o avanço da doença e garante uma vida melhor para os cães e gatos.

A importância do diagnóstico precoce

 

Nos estágios iniciais da doença podemos instituir uma série de cuidados que visam diminuir a progressão e minimizar os efeitos da insuficiência renal.

 

Com um simples exame de urina conseguimos identificar alterações indicando que os rins não estão filtrando adequadamente. Os exames de sangue também são fundamentais neste diagnóstico. 

Participe você também!

Durante o mês de março você poderá retirar um kit um coletor de urina. Colete a urine do seu pet no período da manhã e leve ao Estima para fazermos uma análise. Como estamos em campanha você não precisará de pedido.

 

O exame é simples e fácil. Participe!

Agora, conheça mais sobre a Doença Renal Crônica

O QUE É DOENÇA RENAL CRÔNICA?

 

A insuficiência renal crônica, atualmente conhecida como doença renal crônica (DRC), é uma das patologias mais frequentes da medicina veterinária, principalmente em animais idosos, no qual há naturalmente um declínio da função renal. Isso porque a doença não tem cura e progride com o passar do tempo. Porém, tem observado um número grande de animais jovens acometidos pela doença, devido a alterações renais genéticas e/ou congênitas.  

 

A DRC é caracterizada por uma perda progressiva e irreversível da unidade funcional do rim (néfron) que deixa de exercer sua função. O rim perde então a capacidade de concentrar a urina, e também acumula toxinas no sangue e excreta substâncias essenciais para o organismo. 

 

 

O QUE A DRC CAUSA?

 

  • Acumulo de compostos nitrogenados (uréia) no sangue, causando lesões no trato gastrointestinal (ulceras em boca, gastrite), estes levando a perda de apetite, náusea, vômitos, diarréia, halitose e perda de massa muscular;

 

  • Perda da capacidade em concentrar urina, assim o paciente produz grande quantidade de urina, com coloração transparente, e consequentemente bebendo mais agua. As vezes a quantidade de agua ingerida não é suficiente para se manter hidratado, causando então a desidratação, assim agravando o quadro;

 

  • Aumento de fósforo na corrente sanguínea e diminuição do cálcio, podendo levar a uma doença endócrina secundária chamada hiperparatireoidismo secundário renal; 

 

  • Proteína na urina. A proteína por ser um molécula grande, não deve passar pelos rins, e quando isso acontece pode ser sinal de alteração renal. Esse fator pode agravar a doença aumentando a sua progressão; 

 

  • Aumento da concentração de ácido no sangue devido a grande perda de bicarbonato pela urina, o que chamamos de acidose metabólica;

 

  • Anemia. O rim também é um órgão endócrino, cujo estimula a produção de células vermelhas; 

 

  • Hipertensão sistêmica. O rim é o órgão responsável pelo controle da pressão arterial, quando ele esta deficiente pode haver um desequilíbrio dessa função, aumentando a pressão arterial. 

 

QUAIS SÃO OS SINTOMAS?

 

Durante a fase inicial da doença os sintomas não são aparentes, devido a grande capacidade compensatória renal. A medida que a doença avança, os sintomas se tornam evidentes, porém são inespecíficos. A partir do momento que os sintomas são visíveis, significa que o animal está somente com um quarto dos rins funcionando.

Os sintomas são:

 

  • Emagrecimento progressivo;

 

  • Perda e/ou diminuição de apetite;

 

  • Vômitos, úlceras em boca, mau hálito, diarreia;

 

  • Aumento da sede e na produção de urina;

 

  • Fraqueza e letargia.

 

DIAGNÓSTICO 

 

Quanto mais cedo o diagnóstico, melhor. No entanto, perceber sinais clínicos na fase inicial da doença nem sempre é possível, devido eles serem sutis.

Os métodos laboratoriais são essenciais para o diagnóstico:

 

  • Exames de sangue:  dosagem da creatinina sanguínea é o indicador para avaliar a função renal, porem é um biomarcador tardio, pois haverá aumento dela no sangue somente quando houver comprometimento de 75% dos rins. Atualmente temos um novo biomarcador, chamado SDMA (dimetilarginina simétrica), no qual haverá aumento com 25% de perda dos néfrons. 

 

  • Exame de urina: podemos observar também a diminuição da densidade da urina, visto que o rim perde a capacidade de concentração de água no sangue, jogando fora muita água.

 

  • Exame de imagem: a ultrassonografia abdominal, devido a alteração de morfologia renal na doença, podendo ser muitas vezes um método de diagnóstico precoce. 

 

TRATAMENTO

 

A doença renal crônica requer um tratamento por toda vida. Embora ela ser uma doença irreversível, é possível retardar a progressão, melhorar a qualidade e, consequentemente a longevidade de vida do paciente. Isso somente é possível com o tratamento adequado, baseado nos sintomas clínicos, exame físico e exames laboratoriais. 

 

O tratamento vai muito além da fluidoterapia (soroterapia), este sendo apenas instituído em situações de desidratação. Os animais com DRC geralmente urinam mais que um animal saudável e necessitam ingerir mais água para se manter hidratado. O consumo adicional de agua é imprescindível e poderá ser instituído através da oferta de produtos líquidos com sabores, frutas (melão, melancia, agua de coco) e àgua fresca sempre disponível. 

PROGNÓSTICO

 

Pelo fato de não haver sinais clínicos evidentes iniciais, o check-up é a única forma de diagnosticar precocemente, podendo instituir o tratamento e a prevenção o quanto antes. Então quanto mais cedo, maior a chance de sobrevida do animal. 

 

Sendo assim, o prognostico é reservado, varia com estagio da doença, da sua progressão e da resposta ao tratamento.

DICAS IMPORTANTES

 

  • Não utilizar fármacos sem orientação do medico veterinário;

 

  • Deixar sempre água fresca a disposição; 

 

  • Ficar atento se seu animal apresenta algum sintoma: emagrecimento progressivo, perda de apetite, vômitos, aumento do volume de urina e de ingestão de agua, mau hálito;

 

  • FAZER CHECK-UPS periódicos, pois somente assim teremos um diagnostico precoce, aumentando a sobrevida do seu Pet!!!!