Alt

Cardiologia

Postado dia 13 de junho de 2016 por



Com o aumento da expectativa de vida dos nossos cães e gatos associado aos avanços tecnológicos nos meios diagnósticos, as doenças cardíacas passaram a ser vistas com maior frequência dentro da clínica médica veterinária.

A cardiologia veterinária é uma especialidade médica que trata da anatomia, fisiologia, patologia e medicina do coração e dos grandes vasos. Mas também auxilia na avaliação cardiológica pré-cirúrgica, avaliando e atenuando os riscos para o procedimento anestésico. A avaliação cardiológica é indicada para animais com doenças infecciosas, insuficientes renais, em tratamento quimioterápico ou politraumatizados, pois todas essas situações podem alterar o funcionamento cardíaco.

Existem algumas raças de cães consideradas mais predispostas a doenças cardíacas, como os Boxers, Labrador Retrievers, Cavalier King Charles, Cocker Spaniel, Poodle, Pinscher miniatura, Teckel, Doberman Pinscher, Pastor Alemão e Terra Nova. E nos felinos, o Maine Coon e o Persa. Para tais raças seria aconselhada avaliação cardiológica anual, mesmo não apresentando cardiopatia pré-existente. Contudo, qualquer outra raça ou mesmo os mestiços podem desenvolver doenças cardíacas.

As cardiopatias podem estar relacionadas a alterações do ritmo cardíaco (as chamadas “arritmias cardíacas”), às doenças degenerativas das válvulas cardíacas, doenças do músculo cardíaco e também às anomalias do desenvolvimento do coração ainda na vida intrauterina (“cardiopatias congênitas”).

Os sinais clínicos mais comuns são tosse, intolerância ao exercício, fraqueza, cansaço fácil, desmaios, perda de peso, entre outros. É importante o atendimento por um profissional especializado, que saberá inspecionar e realizar os exames mais adequados para um diagnóstico e tratamento precisos.

O objetivo do serviço especializado é ser um parceiro das clínicas, consultórios e hospitais veterinários, que ao ser solicitado pelo Clínico Geral, será acompanhado de um laudo cardiológico, contribuindo dessa forma para uma parceria ética e melhor tratamento ao paciente.

Afinal, o nosso paciente cardiopata, acima de tudo, é também o nosso maior amigo, e queremos que ele tenha a melhor qualidade de vida ao nosso lado.